IVG - mais conhecido por ABORTO

Relativamente ao aborto, a opinião é sempre pessoal e vale o que vale, depende também da religião e educação de que cada indivíduo. No final do artigo, pode encontrar a legislação em vigor, que na minha opinião está muito bem redigida e prevê todas as situações em relação ao motivo pelo qual se pode fazer uma IVG (está na moda usar estas iniciais; INTERRUPÇÂO VOLUNTÀRIA da GRAVIDEZ, se calhar aborto é uma palavra muito forte, assim tem um nome mais bonito, mas eu prefiro aborto), incluindo os prazos, onde alguns foram alterados, posteriormente e muito bem alterados.

Em relação ao referendo, é um desperdício dos nossos fundos. Já houve um referendo e ganhou o NÃO. Não é necessário efectuar outro, porque se a vitória fosse do SIM, os defensores do NÂO também podiam reclamar outro referendo e nunca mais saímos disto. Quanto ao aborto, o meu voto vai ser NÂO. Principalmente, pelo motivo referido no inicio deste artigo. Além disso se o aborto passar a ser legal, corremos o risco de começarem a existir listas de espera. Pelo que as noticias transmitem, são muitas as mulheres que vão a Espanha fazer o aborto, deverão ser mais, porque são aquelas que não têm dinheiro, as que o fazem em Portugal, sem as condições e meios necessários, correndo risco de vida. Quando falo em mulheres, incluo também as adolescentes. As condições precárias dos abortos efectuados em Portugal clandestinamente, é um dos argumentos, utilizados pelos defensores do SIM. Que na minha opinião não é válida. Essas mulheres engravidaram, porquê? Falta de informação, desconhecimento, descuido. Hoje em dia já não são motivos. Não será necessário enumerar as várias maneiras de evitar uma gravidez. A Educação Sexual, já devia fazer parte do ensino em Portugal, à muito tempo, isto para os(as) adolescentes. Embora os Pais tenham o dever e a obrigação de falar abertamente sobre o assunto com os filhos(as). Por outro lado, se as contas da Saúde em Portugal estão no negativo, mais vão ficar com a liberalização. Porque depois o nosso dinheiro vai pagar, os “erros” dos outros. Ou seja aborta-se um “erro” com outro, erro, ainda mais grave. Os “erros” dos(as) adolescentes, os “erros” das facadas no matrimónio, os “erros” daquele amor de Verão, etc,…   

Em minha opinião, como já referi, a lei existente prevê todas as situações possíveis para se poder efectuar um aborto. Agora, cabe a si votar em consciência, felizmente vivemos num País democrático. SIM ou NÂO, vote o que no seu entender achar que é melhor,        

MAS VÀ VOTAR.


Não tem a legislação porque o post, ficaria muito longo.

Decidi não colocar imagens porque são de uma violência indescritível.


Mensagens populares deste blogue

PEREGRINAÇÃO / caminhada a FÁTIMA...

IV Caminhada Solidária Bombeiros Voluntários de Seia - 25/09/2016